Josemaría Escrivá Obras
795

O que é preciso para conseguir a felicidade não é uma vida cômoda, mas um coração enamorado.


796

Depois de vinte séculos, temos de apregoar com plena segurança que o espírito de Cristo não perdeu a sua força redentora, a única que sacia os anelos do coração humano. - Começa por meter essa verdade no teu, que estará em perpétua inquietação - como escreveu Santo Agostinho - enquanto não o colocares inteiramente em Deus.


797

Amar é... não albergar senão um único pensamento, viver para a pessoa amada, não se pertencer, estar submetido venturosa e livremente, com a alma e o coração, a uma vontade alheia... e ao mesmo tempo própria.


798

Ainda não queres ao Senhor como o avaro às suas riquezas, como uma mãe a seu filho..., ainda te preocupas demasiado contigo mesmo e com as tuas ninharias! Não obstante, notas que Jesus já se tornou indispensável na tua vida... - Pois bem, logo que corresponderes por completo à sua chamada, Ele te será indispensável também em cada um dos teus atos.


799

Grita-Lhe com força, porque esse grito é loucura de apaixonado!: - Senhor, embora eu te ame..., não te fies de mim! Ata-me a Ti, cada dia mais!


800

Não duvides: o coração foi criado para amar. Metamos pois Jesus Cristo em todos os nossos amores. Caso contrário, o coração vazio se vinga, e se enche das baixezas mais desprezíveis.


801

Não existe coração mais humano que o de uma criatura que transborda de sentido sobrenatural. Pensa em Santa Maria, a cheia de graça, Filha de Deus Pai, Mãe de Deus Filho, Esposa de Deus Espírito Santo: no seu Coração, cabe a humanidade inteira sem diferenças nem discriminações. - Cada um é seu filho, sua filha.


802

As pessoas, quando têm o coração muito pequeno, parece que guardam os seus anseios numa gaveta pobre e fora de mão.


803

Nas relações com os que te cercam, tens de conduzir-te cada dia com muita compreensão, com muito carinho, juntamente - é claro - com toda a energia necessária: de outro modo, a compreensão e o carinho se convertem em cumplicidade e egoísmo.


804

Dizia - sem humildade de fachada - aquele nosso amigo: “Não precisei aprender a perdoar, porque o Senhor me ensinou a amar”.


805

Perdoar. Perdoar com toda a alma e sem resquício de rancor! Atitude sempre grande e fecunda. - Esse foi o gesto de Cristo ao ser pregado na Cruz: “Pai, perdoa-os, porque não sabem o que fazem”. E daí veio a tua salvação e a minha.


806

Causou-te uma grande pena o comentário bem pouco cristão daquela pessoa: “Perdoa os teus inimigos - dizia-te -; não imaginas como isso os deixa furiosos!”. - Não te pudeste conter, e replicaste com paz: “Não quero abaratar o amor com a humilhação do próximo. Perdôo, porque amo, com fome de imitar o Mestre”.


807

Evita com delicadeza tudo o que possa ferir o coração dos outros.


808

Por que motivo, entre dez maneiras de dizer “não”, hás de escolher sempre a mais antipática? - A virtude não deseja ferir.


809

Olha: temos que amar a Deus não somente com o nosso coração, mas com o “dEle”, e com o de toda a humanidade de todos os tempos...: senão, ficaremos abaixo das medidas para correspondermos ao seu Amor.


810

Dói-me que aqueles que se entregaram a Deus apresentem a imagem ou dêem pé para que os tomem por solteirões, quando têm o Amor por excelência! - Serão solteirões se não souberem amar Aquele que tanto ama.


811

Alguém comparou o coração a um moinho que se move pelo vento do amor, da paixão... Efetivamente esse “moinho” pode moer trigo, cevada, esterco... - Depende de nós!


812

O demônio - pai da mentira e vítima da sua soberba - tenta arremedar o Senhor até no modo de fazer prosélitos. Reparaste? Assim como Deus se vale dos homens para salvar almas e levá-las à santidade, satanás serve-se de outras pessoas para dificultar esse trabalho e até para as perder. E - não te assustes -, da mesma maneira que Jesus busca, como instrumentos, os mais próximos - parentes, amigos, colegas etc. -, o demônio também tenta, com freqüência, mover esses seres mais queridos, para induzir ao mal. Por isso, se os laços do sangue se convertem em amarras, que te impedem de seguir os caminhos de Deus, corta-os com decisão. E talvez a tua determinação desamarre também os que estavam enredados nas malhas de Lúcifer.


813

Obrigado, meu Jesus!, por que quiseste fazer-te perfeito Homem, com um Coração amante e amabilíssimo, que ama até a morte e sofre; que se enche de gozo e de dor; que se entusiasma com os caminhos dos homens, e nos mostra aquele que conduz ao Céu; que se submete heroicamente ao dever, e se guia pela misericórdia; que vela pelos pobres e pelos ricos; que cuida dos pecadores e dos justos... - Obrigado, meu Jesus, e dá-nos um coração à medida do teu!


814

Pede a Jesus que te conceda um Amor qual fogueira de purificação, onde a tua pobre carne - o teu pobre coração - se consuma, limpando-se de todas as misérias terrenas... E vazio de ti mesmo, se cumule dEle. Pede-Lhe que te conceda uma aversão radical ao que é mundano: que só o Amor te sustente.


815

Viste com muita clareza a tua vocação - amar a Deus -, mas só com a cabeça. Garantes que puseste o coração no teu caminho..., mas às vezes te distrais e até tentas voltar o olhar para trás: sinal de que não o puseste por inteiro. - Esmera-te!


816

“Eu vim - assim se exprime o Mestre - para separar o homem de seu pai, a filha de sua mãe e a nora de sua sogra...”. Cumprindo o que Ele te exige, demonstrarás que os amas verdadeiramente. Por isso, não te escudes no carinho que lhes tens - deve ser total -, à hora do teu sacrifício pessoal. Senão, acredita-me antepões ao amor de Deus o de teus pais; e ao de teus pais, o teu amor próprio. - Entendeste agora, com amis profundidade, a congruência das palavras evangélicas?


817

O coração! De vez em quando, sem o poderes evitar, projeta-se uma sombra de luz humana, uma recordação torpe, triste, “provinciana”... - Corre logo ao Sacrário, física ou espiritualmente: e tornarás à luz, à alegria, à Vida.


818

A freqüência com que visitamos o Senhor está em função de dois fatores: fé e coração; ver a verdade e amá-la.


819

O amor se robustece também com negação e mortificação.


820

Se tivesses um coração grande e um pouco mais de sinceridade não te deterias a mortificar, nem te sentirias mortificado... por minúcias.


821

Se te zangas - em certas ocasiões é um dever; em outras, uma fraqueza -, que a zanga dure somente uns minutos. E, além disso, sempre com caridade: carinho!


822

Repreender?... Muitas vezes é necessário. Mas ensinando a corrigir o defeito. Nunca por um desabafo do teu mau caráter.


823

Quando é preciso corrigir, deve-se atuar com clareza e amabilidade; sem excluir um sorriso nos lábios, se for oportuno. Nunca - ou muito raras vezes - aos berros.


824

Sentes-te depositário do bem e da verdade absoluta e, portanto, investido de um título pessoal ou de um direito a desarraigar o mal a todo o custo? - Por esse caminho não consertarás nada: só por Amor e com amor!, recordando que o Amor te perdoou e te perdoa tanto.


825

Ama os bons, porque amam a Cristo... - E ama também os que não O amam, porque têm essa infelicidade..., e especialmente porque Ele ama uns e outros.


826

A gente daquela terra - tão afastada de Deus, tão desorientada - recordou-te as palavras do Mestre: “Andam como ovelhas sem pastor”. - E sentiste que tu também ficavas com as entranhas cheias de compaixão... Decide-te, no lugar que ocupas, a dar a vida em holocausto por todos.


827

Os pobres - dizia aquele amigo nosso - são o meu melhor livro espiritual e o principal motivo de minhas orações. Doem-me eles, e Cristo me dói com eles. E, porque me dói, compreendo que O amo e que os amo.


828

Quando se coloca o amor de Deus no meio da amizade, este afeto se depura, se engrandece, se espiritualiza; porque se queimam as escórias, os pontos de vista egoístas, as considerações excessivamente carnais. Não o esqueças: o amor de Deus ordena melhor os nossos afetos, torna-os mais puros, sem diminuí-los.


829

Esta situação abrasa-te: Cristo aproximou-se de ti quando não passavas de um miserável leproso! Até esse momento, só cultivavas uma qualidade boa: um generoso interesse pelos outros. Depois desse encontro, alcançaste a graça de ver Jesus neles, e te enamoraste dEle, e agora o amas neles..., e parece-te muito pobre - tens razão! - o altruísmo que antes te impelia a prestar uns serviços ao próximo.


830

Acostuma-te a colocar o teu pobre coração no Doce e Imaculado Coração de Maria, para que o purifique de tanta escória, e te leve ao Coração Sacratíssimo e Misericordioso de Jesus.


Anterior Próximo